O vazio… um recomeço

Hoje acordei com uma sensação de vazio.
E fiquei pensando o porque deste sentimento.
Vi que o vazio tem me preenchido por anos.
O vazio de palavras
O vazio de sentimentos
O vazio de presença
O vazio do vazio
Muitas pessoas são naturalmente vazias.
A gente é que acha que são pessoas completas, cheias de vida, cheias de tudo.
Mas o tempo, muito tempo, uma história, mostra como são vazias.
E ai, a gente percebe o quanto fizemos, por nada.
Mas mesmo tendo sido vazio, a gente acaba se dando por completo
E vazio fica por conta do outro.
Este mesmo vazio nos força a recomeçar
A tentar de novo
A perceber que na verdade nada foi em vão
A gente cresce
Amadurece
Muda
E no fim, percebemos que valeu a pena.
Que ter passado por tantos momentos vazios na vida de alguem
Nos deixa mais fortes.
E mostra que somos muito mais cheios de tudo, do que podíamos imaginar.

Pessoas vão embora…

Pessoas vão embora de todas as formas: vão embora da nossa vida, do nosso coração, do nosso abraço, da nossa amizade, da nossa admiração, do nosso país. E, muitas a quem dedicamos um profundo amor, morrem. E continuam imortais dentro da gente. A vida segue: doendo, rasgando, enchendo de saudade… Depois nos dá aceitação, ameniza a falta trazendo apenas a lembrança que não machuca mais: uma frase engraçada, uma filosofia de vida, um jeito tão característico, aquela peculiaridade da pessoa.
Mas pessoas vão embora. As coisas acabam. Relações se esvaem, paixonites escorrem pelo ralo, adeuses começam a fazer sentido. E se a gente sente com estas idas e também vindas, é porque estamos vivos. Cuidemos deste agora. Muitos já se foram para nos ensinar que a vida é só um bocado de momento que pode durar cem anos ou cinco minutos. E não importa quanto tempo você teve para amar alguém, mas o amor que você investiu durante aquele tempo.
Segundos podem ser eternidades… ou não. Depende da ocasião.
(Marla de Queiroz)

O corpo é matéria podre

que morre  a cada dia

Envelhece, fica feia

meio quente, meio fria.

 

Abriga a alma pura, devassa, amiga,

Apenas uma alma confusa.

 

Ambos se completam

a procura de estar bem

a alma perfeita e bela

e o corpo querendo também.

 

A Alma evoluindo aos poucos

e o corpo vivendo as desventuras

que pelos sentidos procura

Aprendi

Aprendi que nem tudo sai da maneira que desejo, mas o destino sempre arruma um jeitinho de arrumar as coisas.

Aprendi que por mais doloroso que seja, o passado muitas vezes precisa ser esquecido, as marcas cicatrizadas e com as dores, que são inevitáveis, o presente precisa ser vivido com alegria, sempre.

Aprendi que tudo o que realmente é verdadeiro sempre arruma um jeito de ficar na nossa vida, e o que é ilusão, vai embora.

Não quero muito da vida, mas os meus sonhos, mesmo que poucos, são do tamanho do infinito. Mas não estou com pressa. Sei que preciso ter paciência, por mais dificil que seja.

Não desejo mal a ninguém, mesmo que me tenham causado muita tristeza e me feito derramar muitas lágrimas.

Aprendi que quando triste, e principalmente assim, devo ouvir uma boa música, para relaxar.

Aprendi a ignorar o que me faz mal, mesmo que doa. Mas isso também passa.

Aprendi que, se o que quero é realmente um desejo real, sem conflitos, o universo em sua total maestria, conspirará ao meu favor.

Aprendi, que ainda tenho que aprender muita coisa. Mas cada qual a seu tempo. Afinal, aprendi a viver sem pressa e com paciência.

Um dia

Imagem

Um dia de cada vez

Assim que eu vivo

Sem expectativas

É muito mais fácil

E o sofrimento é evitável.

 

Um dia ainda te encontro

Meio que sem querer

Num lugar qualquer

Podendo assim, talvez

Conversarmos bobagens e rirmos juntos mais um vez.

 

Um dia quem sabe

Possamos dar vida ao que sonhei

Sem expectativas é claro

E assim vivo, feliz

Um dia de cada vez.

UM ENCONTRO DE ALMAS

Nunca entendi muito bem o que realmente acontece quando dois olhos se encontram e a partir deste momento a separação é quase  impossivel, até ler este texto. O encontro de almas é possivel e passível de acontecer a qualquer um e se o tempo for o certo, prepare-se para viver um grande amor.

Um encontro de almas, é um encontro peculiar, por ter sido um encontro marcado lá do outro lado, onde elas se encontraram, destinadas a realizar determinada missão, podendo assim, o amor acontecer, pois são almas predestinadas.

Este amor chega sem ter dia marcado ou momento marcado para acontecer. Simplesmente chega, e se instala, criando uma verdadeira festa de sentimentos alegres, que modificam todos os propósitos e conceitos até então firmados.

O encontro de duas almas tem como foco principal não a aparência física, mas a afinidade existente entre elas.

Sempre vão existir momentos de tristeza, quando se perguntam porque não se encontraram antes. Acontece que esse momento é determinado pelo Destino. E muitas vezes quando o momento desse encontro não acontece, não é possivel extravasar toda a plenitude do amor que trazem. Quando não é mais possivel viver a alegria de amar e compartilhar a vida com o outro, ou seja, sem que exista a possibilidade de realizar este amor em total plenitude, por vezes esse amor fica incompleto, e as almas sentem uma saudade doida e doída uma da outra.

Existiu o encontro, porém mais uma vez incompleto, e reconhecendo que não haverá retorno para suas pretensões, será necessário então aguardar nova oportunidade, um novo encontro.

Atingindo essa compreensão, entendem que mesmo estando distantes, podem sentir e pressentir a alegria, a tristeza, o querer de um pelo outro.

Estas almas falam além das palavras, falam pela compreensão anímica, e assim se entendem, e se comunicam, sabendo que deverá haver um novo reencontro.

Contudo, se o reencontro ocorrer no tempo certo, estas almas afins se entrelaçam e buscam a forma de juntas ficarem, num processo contínuo de reaproximação até a consumação do amor predestinado.

De qualquer maneira, estas almas ficam marcadas, e nunca conseguirão se separar. Sempre acontecerão reencontros, até que possam cumprir a missão.

Almas que se encontram não mais se sentirão sozinhas, pois reconhecerão a necessidade que têm uma da outra para toda a eternidade.

Marcial Salaverry (adaptado)

A cada dia que passa aprendo um pouco mais com a vida. E recentemente aprendi que as possibilidades são infinitas. O único limite é até onde queremos ir. E eu nisso? Não tenho limites.

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples. 

Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar. 

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 

Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz. Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!! 

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento,perdemos também a felicidade. 

A dor é inevitável. O sofrimento é opcional…

Carlos Drummond de Andrade

Despedida

Não quero ir embora, mas é necessário e prudente saber a hora de sair de cena.

Vai doer, muito, mas é preciso.

Entretanto,  doerá muito mais se ficar e ver o sofrimento, confusão, desespero e tristeza que causo.

Tenho que me desapegar.

Desapegar daquilo que eu não consigo fazer o bem.

Porém, paradoxalmente, me faz bem… Muito bem.

Queria que tudo fosse diferente.

Muito diferente.

Queria que a minha presença fosse necessária.

Que minha ausência doesse.

Que meu toque fizesse o corpo estremecer.

Que meu cheiro fizessem as lembranças saltarem do coração e o medo de me perder fosse desesperador.

Que palavras não fossem apenas palavras.

E que atitudes são muito bem vindas depois das palavras ditas…

Mas não é nada disto que acontece.

Queria ter sabido uma vez, que fui importante.

Que existiu Amor.

Mas, tudo isso não passa de ilusão.

Ilusão de um só coração.

Nossa, minha, história ficará para sempre guardada no meu coração.

Por que este sentimento, só eu sei da sua proporção.

Saudades? Infinitas…

Mas esta foi a única opção que encontrei para libertar o seu coração.

Tem outra? Então me diga por favor, porque eu já não vejo outra salvação…